Medicina Integrativa: Entenda o que é e como é importante

 

Já experimentou métodos complementares e alternativos à medicina tradicional? Você já ouviu falar de Medicina Integrativa? A medicina integrativa, que está se tornando cada vez mais popular em escritórios e hospitais em todo o mundo, ajudou inúmeros pacientes a encontrar um acesso mais completo a doenças físicas e mentais. Além dos pacientes, os profissionais de saúde também se beneficiaram da tecnologia e encontraram resultados encorajadores em seu trabalho. Quer saber mais sobre Medicina Integrativa?

O que é medicina integrativa?

Como o nome indica, é um método que procura integrar o paciente, ou seja, uma visão holística e complementar do indivíduo. Corpo, mente e alma são considerados. O que isso busca fazer? Que uma doença, seja física ou mental, deve ser avaliada e curada de vários processos baseados na medicina tradicional e em métodos alternativos seguros e eficientes.

A medicina integrativa não é apenas um trabalho de médico: enfermeiros, nutricionistas, psicólogos e outros profissionais de saúde precisam levar isso em conta ao visitar e colaborar com seus pacientes.

Muitos especialistas acreditam que os desequilíbrios mentais e emocionais são doenças. Assim como as doenças físicas podem desencadear uma série de complicações psicoemocionais, como depressão e ansiedade.

Esses procedimentos estão associados a tratamentos alopáticos e tradicionais, assim como a cirurgias e medicamentos, bem como outras formas de cura: massagem, flor, aromaterapia.

Nesta abordagem, o equilíbrio da dieta e a escolha correta dos alimentos também ganham um. importância central, embora a doença não esteja fundamentalmente relacionada ao paciente. Em última análise, trata-se de possibilitar a qualidade de vida e bem-estar do paciente.

É importante saber que a medicina tradicional não perde a sua posição e ainda é muito importante, não só em situações de crise e emergências

A propagação da medicina integrativa e seu sucesso é baseada nos resultados obtidos como procedimentos diferentes para promover a cura de pacientes foram alinhados.

Por que a Medicina Integrativa é tão bem sucedida? De uma perspectiva de cura mais ampla, os resultados são mais eficazes

Procedimentos complementares estão sendo introduzidos como suporte até mesmo no tratamento de doenças crônicas e graves, como câncer e problemas cardíacos e respiratórios.

Usando práticas que cuidam da mente, mente e emoções do paciente, todo o processo de cura da doença se torna mais calmo. Em combinação com técnicas de medicina tradicional, técnicas alternativas e complementares trabalham arduamente para prevenir doenças e manter a qualidade de vida alcançada.

O que está em jogo são outras visões de cura, doença e saúde. A cura é um processo que também deve partir do paciente, e a saúde é um estado de equilíbrio e bem-estar que vai muito além da ausência de uma doença física evidente.

O que muda na relação entre profissionais e pacientes?

A medicina integrativa traz mudanças nas relações entre os profissionais de saúde e seus pacientes. Isso ocorre porque a relação não é mais específica (por exemplo, no tratamento da bronquite) e se torna mais terapêutica (se ocorre quando ataca e quais técnicas aliviam os sintomas). O foco muda da doença para o indivíduo.

Isso requer que os profissionais pareçam afiados e treinados, porque a demanda não é mais a cura de uma doença, mas a criação de um ambiente de bem-estar para o relacionamento do paciente. Nesse sentido, é necessário saber ouvir e construir com o paciente a maneira ideal de resolver seus problemas.

Conhecer o sujeito, suas queixas, seu modo de vida, o ambiente em que se encontra, sua realidade econômica e cultural fazem parte desse movimento para ver o indivíduo como um todo. Isso não significa que o médico ou enfermeiro se torne um psicólogo, mas um especialista que possa ouvir, encaminhar e encaminhar pacientes para outros tipos de terapia.

Quais são as vantagens?

Além das melhorias físicas, as mais importantes:

Quando as práticas alternativas são consistentes com os princípios, crenças e filosofias dos pacientes, elas geram sentimentos de alegria, alívio e esperança. , Ao contrário dos procedimentos padronizados, essas práticas são realizadas com a disposição e a disposição do paciente, o que faz a diferença nos resultados. Porque uma pessoa feliz vai se recuperar muito mais cedo.

Outro benefício importante é o desenvolvimento da própria percepção do paciente de que ele é responsável por seu tratamento, ou seja, o despertar para a autocura. Através dessas técnicas complementares, o paciente deixa de ser “passivo” em relação ao seu processo e se envolve com mais determinação e disciplina. Desta forma, ele percebe que apenas ele mesmo é capaz de criar um ambiente propício à sua saúde interior e exterior.

Os benefícios não param. Em alguns casos, resultados com práticas alternativas são tão eficazes que outros tipos de procedimentos que seriam mais invasivos são gastos.

Um exemplo simples da medicina integrativa: aulas de ioga ajudam com a função do trato digestivo e do intestino e evitam a necessidade de outros tipos de procedimentos para aqueles que têm dificuldades digestivas. O tratamento é ainda mais completo quando combinado com uma dieta equilibrada e saudável.

Estes são apenas alguns dos benefícios que demonstram a importância da Medicina Integrativa para os procedimentos médicos do mundo atual. O objetivo dessa abordagem é o equilíbrio do organismo, a integração do ser e a concentração nos aspectos que realmente afetam sua vida e afetam sua saúde.

Combinando o conhecimento médico tradicional com todo o conhecimento alternativo que vem de culturas e povos ancestrais, a doença assume uma dimensão diferente e enfrenta uma atitude diferente do profissional e do paciente. A cura se torna um processo holístico e a saúde se torna uma construção contínua.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *