Cursos à distância são opção de qualificação com economia

Cursos à distância são opção de qualificação com economia

Para quem busca uma nova carreira ou recolocação no mercado de trabalho, estudar é preciso. Manter-se atualizado faz diferença na hora de disputar uma vaga. E nem mesmo a falta de tempo para ir até uma instituição de ensino é desculpa para não buscar mais conhecimento: os cursos à distância suprem essa necessidade.

Foi-se o tempo em que os cursos à distância eram sinônimo de má qualidade no ensino. E os números comprovam que o preconceito com a modalidade vem sendo superado no Brasil. Dados do Ministério da Educação (MEC) mostram que, entre 2001 e 2011, o número de matrículas disparou de 5 mil para quase 1 milhão.

Uma das vantagens da modalidade é poder programar a sua rotina de estudos. Foto: iStock, Getty Images

Preço é vantagem dos cursos à distância

O quesito preço não é a única vantagem dos cursos à distância, mas provavelmente é a mais relevante. Conforme um estudo da consultoria Hoper Educação, essa modalidade pode chegar a um terço do valor do ensino presencial.

Esse “desconto” é possível porque o espaço físico necessário para a realização de um curso nessa modalidade é muito menor do que para as aulas convencionais. Mesmo com um alto investimento para implantar uma estrutura para a transmissão das aulas – equipamentos e material didático – ainda é viável formar alunos a um preço acessível.

Existem, claro, outras vantagens para o estudante. Entre elas, montar a própria rotina de estudos (com horários mais flexíveis), economizar tempo e dinheiro com o deslocamento até uma instituição de ensino, além da redução de despesas do material didático, que atualmente é quase todo disponibilizado de forma virtual.

Cursos à distância em todos os níveis

Hoje em dia, é possível realizar cursos à distância para qualquer tipo de qualificação que você esteja procurando. Desde cursos livres, profissionalizantes, técnicos e até mesmo graduação, pós-graduação e especializações.

No Ensino Superior, já são centenas de universidades reconhecidas pelo MEC, sendo que alguns cursos viabilizam um valor ainda menor, como é o caso das licenciaturas. Mas a ausência de um professor e mesmo dos colegas não significa maior facilidade.

Assim como nos cursos presenciais, é necessário prestar exames, fazer trabalhos, obter frequência e notas mínimas, sob o risco de reprovação. Além disso, exige tempo, dedicação e muita disciplina.

O fato de as aulas serem ministradas à distância não significa que os cursos estejam disponíveis a todos. Para se matricular em um curso que exija pré-requisito, é necessário apresentar um certificado de conclusão da etapa anterior. Para a graduação, por exemplo, é preciso comprovar a conclusão do Ensino Médio e participar de um processo seletivo.

Os cursos de idiomas online também têm ganhado destaque. Além da flexibilidade de horários, é uma opção para alunos tímidos. O ponto negativo, entretanto, é a dificuldade para correção da pronúncia, o que tem sido superado em aulas por áudio e vídeo.

Onde a modalidade esbarra

Mas há gargalos no ensino à distância e um deles é a quantidade limitada de cursos, sobretudo nas instituições públicas, que são alternativas gratuitas.

Outro problema é a indisponibilidade de polos de ensino em muitos municípios, o que impossibilita o curso. Isso porque, na maioria dos cursos, é necessário haver ao menos uma aula presencial por semana, que ocorre nesses polos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *