Como a reforma do ensino médio afeta o Enem?

 

Se você ler os jornais e tentar se manter atualizado, pode já ter ouvido falar do projeto de reforma curricular do ensino médio que será votado em breve. Espera-se que seja aprovado ainda este ano.

Esta reforma levanta uma dúvida imediata entre os estudantes do ensino médio, especialmente os do terceiro ano, que estão estudando as mudanças que o novo modelo curricular pode trazer para o Enem. Quando e como o teste se adaptará a todas essas mudanças?

Para ajudá-lo com as possíveis respostas a essa pergunta, fizemos deste texto o tópico. Leia até o fim, esclareça suas dúvidas sobre a relação entre essas duas coisas, e agora comece a se preparar melhor para um possível novo formato de Enem.

O que muda com a reforma curricular do ensino médio?

Se o conteúdo for alterado, espera-se que a classificação nacional mais importante de matrículas no ensino superior mude pontos importantes de ensino no Brasil. A forma como o projeto de reforma foi realizado provocou, de fato, muitas críticas de alguns profissionais da educação.

Ela foi apresentada como uma medida provisória (MP), um tipo de procedimento que o próprio Presidente da República adota para fazer mudanças na prática de forma urgente. Em qualquer caso, espera-se que seja aprovado, e isso vai mudar várias coisas no ensino médio no Brasil e, portanto, no Enem:

O turno todo se torna obrigatório

Um dos principais pontos do projeto é aumentar as horas por lei, as crianças e adolescentes têm que ficar na escola. Na prática, a mudança será totalmente aproveitada pelo aumento, já que o tempo anual necessário é quase o dobro: de 800 horas por ano, como hoje, deve chegar a 1,4 mil horas.

Como isso afeta a vida escolar pode se traduzir em um ritmo médio diário de 7 horas na escola, em vez de 4 ou 5 horas.

O aluno começa a escolher disciplinas especiais. Hoje, o ensino médio é organizado de tal forma que todos os alunos têm que frequentar as mesmas classes. O que está mudando com a reforma é que, enquanto ainda existem cursos obrigatórios para todos os alunos – que podem ocupar no máximo 1,2 hora por ano – eles podem escolher os outros.

Essas disciplinas eletivas são divididas em seções: matemática, ciências, idiomas, ciências humanas e educação técnica e profissional. O objetivo é focar mais na Educação Superior na universidade e na área que o estudante quer escolher.

As disciplinas arte e esporte não são mais obrigatórias

No texto da proposta, disciplinas como música, teatro, artes plásticas e educação física não fazem mais parte do currículo obrigatório e estarão disponíveis apenas sob as opções.

O professor não precisa mais ser educado nesta área

O mais controverso de todo o projeto é o fato de ele sugerir que professores possam ser contratados sem treinamento na mesma área onde ensinam ser.
Isto permite, por exemplo, um engenheiro mecânico ensinar física ou matemática.

Qual o efeito desta reforma sobre o Enem?

Naturalmente, devido à aprovação desse novo professor, você pode esperar mudanças no exame da Abitur. medida provisória. Afinal, o conteúdo dos testes do Enem é o que é ensinado no primeiro, segundo e terceiro anos escolares.

Entre as mudanças discutidas na seção anterior está o aumento nas mudanças nos assuntos compulsórios que afetam diretamente o Enem. No primeiro caso, é de se esperar que, com as horas extras que o aluno completa na escola, o conteúdo seja mais pesquisado e, portanto, o grau de urgência da investigação será maior

. A grande dúvida é o segundo ponto: se os assuntos obrigatórios e eletivos devem ser provados, não está claro como eles são calculados no teste do Enem. Afinal, todos terão o mesmo conteúdo obrigatório, mas o resto será a escolha de cada aluno.

O problema provavelmente é resolvido de duas maneiras: O Enem só exige ou deixa cursos obrigatórios Existem vários tipos de evidências que variam de acordo com a área escolhida pelo aluno durante o ensino médio.

Em qualquer caso, a relação entre os assuntos de escolha do aluno e o teste do Enem deve permanecer sem resposta de um bom tempo ainda. O que se sabe até agora é que, em 2017, como na auditoria de 2016, a estrutura deve permanecer inalterada.

Naturalmente, tudo sobre a relação desta reforma com o Enem ainda é muito especulativo. O que tentamos neste texto foi prever as mudanças mais prováveis.

Mas, para ter certeza do que acontece na reforma curricular do ensino médio, é melhor que você faça o que é recomendado para cada aluno do Enem: fique ligado a sites de notícias, jornais e noticiários. Embora o exame de 2017 mantenha sempre sua estrutura, será necessário que você fique em tudo que acontece no país!

E se você está falando de ficar bem informado, que tal compartilhar este post em suas redes sociais? Assim, você pode ajudar seus amigos a se manterem atualizados e pedir que eles o ajudem também. Compartilhar informações entre os alunos é uma ótima maneira de ficar ligado!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *